Reabilitação Oral

A Reabilitação Oral em Odontologia é a arte e a ciência de restaurar, com porcelana, resina, metal fundido, etc., os dentes destruídos e de recolocar os que faltam, mediante próteses fixas, próteses removíveis, próteses totais, próteses sobre implantes.

O êxito do tratamento reabilitador requer a combinação de vários aspectos: diagnóstico acurado, cooperação do paciente, estado de saúde bucal do paciente, plano de manutenção, etc. Ao longo dos anos a odontologia vem passando por grandes e importantes avanços.

Assistimos uma revolução de conceitos e doutrinas colocados de forma a conhecermos, preservarmos e restaurarmos o sistema mastigatório como um todo.

Materiais dentários de última geração, instrumentais e técnicas modernas têm possibilitado ao cirurgião dentista reabilitador conseguir resultados de ótima qualidade estética e funcional. Sem dúvida, este fato somente é possível se o profissional possuir amplo domínio dos princípios da odontologia restauradora e profundo conhecimento das técnicas a serem desenvolvidas.

Atualmente dividimos a Reabilitação Oral em diversas áreas correlatas, mas, que não se tratam somente da odontologia. A Reabilitação Oral envolve não tão somente a odontologia, mas a fonoaudiologia, fisioterapia e cirurgia plástica. Tratando da odontologia podemos dizer que tão só e somente a confecção de uma única restauração em um único dente se trata de uma Reabilitação Oral, pois se devolve ao paciente os seu estado de normalidade. No que diz respeito à Prótese Dentária trata-se da última área, onde já perdemos grandes quantidades de tecido dentário e não nos resta nada mais a não ser substituir o que foi perdido por materiais dentários que nos conferem características semelhantes aos nossos elementos perdidos.

Podemos classificar as próteses de acordo com a quantidade de tecido perdido (partes dos dentes ou até dentes inteiros).
Quando a perda foi de parte da estrutura coronária (parte visível do dente) podemos lançar mão das restaurações adesivas do tipo INLAYS e ONLAYS, que podem ser confeccionadas em cerâmica, resina e até metálicas.
Já em casos onde perdemos um dente ou alguns dentes, podemos lançar mão das próteses fixas próteses removíveis e até de próteses sobre implantes. As próteses fixas podem variar de acordo com o número de elementos e da qualidade dos dentes que vão suportar a reposição dos dentes ausentes.

Quando a confecção de próteses fixas não é possível, que seja por problemas financeiros ou por má qualidade dos dentes suportes, podemos optar pelas próteses removíveis (pontes móveis), que podem ser bilaterais ou unilaterais.

As próteses totais (dentaduras), são alternativas para aqueles pacientes que perderam todos os elementos dentários, são confeccionadas em resina e tem como características a reposição de toda a arcada dentária.
Depois de grandes avanços na Implantodontia a colocação de implantes é hoje uma grande alternativa para a reposição de elementos dentários perdidos. Os implantes e próteses sobre implantes podem ser utilizados para repor desde um até todos os elementos da boca de um paciente.

Portanto como foi dito no início todos estes tipos de próteses por si só não determinam o sucesso do tratamento do paciente, é necessária a conscientização de que ele não tiver uma higiene excelente ele vai perder todo o trabalho assim como se perde um dente, além disso, é preciso um plano de manutenção com visitas frequentes e periódicas ao dentista, para que o resultado tenha uma longevidade muito grande.